Aos seis meses de idade começa a aventura pelo mundo dos sabores.

Papinha da hora

Aos seis meses de idade começa a aventura pelo mundo dos sabores, é chegada a hora de os bebês começarem a receber os primeiros alimentos.

Em forma de papinhas salgadas e doces, começa a nova fase da alimentação e com essa fase vem também uma série de dúvidas sobre quais papinhas são adequadas e quando devem ser dadas a eles. Nessa hora vale a experiência das vovós, as dicas dos pediatras e entender como podemos aproveitar cada tipo de papinha. Naturais, orgânicas ou industrializadas entenda cada uma e quando dá-las aos bebês.

A maioria dos pediatras recomenda que no dia a dia sejam utilizadas as papinhas caseiras, e em situações mais esporádicas, como passeios e viagens, as industrializadas.

Existem duas opções de papinhas para serem feitas em casa, as naturais e as orgânicas. A técnica em nutrição e culinarista Deborah Tami Terabe Morimoto nos explica as diferenças entre elas, seus benefícios e nos dá a sua opinião. “Em primeiro lugar é um grande prazer poder preparar a papinha sabendo o que estamos usando, isso traz uma sensação de segurança e a certeza de que o bebê comerá uma comida saudável e rica em nutrientes de verdade.”

Papinhas naturais

Feitas com legumes, verduras e frutas comprados em feiras livres e supermercados são as mais recomendadas, pois o custo-benefício vale a pena. Os alimentos naturais são cultivados em grandes plantações e, por isso, são tratados com alguns agrotóxicos e pesticidas, portanto, devem ser muito bem lavados e higienizados antes de serem consumidos.

Papinhas orgânicas

São feitas com legumes, verduras e frutas cultivadas sem quaisquer tipos de agrotóxicos, pesticidas, fertilizantes químicos ou sementes transgênicas. Têm maior teor de nutrientes, maior teor de fotoquímicos (substâncias antioxidantes), são mais saborosas, pois provêm de um solo mais equilibrado sem agentes químicos que prejudicam o alimento. O custo ainda é um pouco alto e, dependendo da região, é um tanto difícil encontrá-las. Nas grandes redes de supermercados há um setor só de frutas, verduras e legumes orgânicos. Há também em algumas cidades feiras só de produtos orgânicos que incluem também algumas carnes como de frango e peixes.

Papinhas industrializadas

Aapesar de serem feitas com legumes, verduras e frutas frescas, e em algumas marcas também orgânicas, em seu preparo são usados alguns conservantes como o sódio, passam por processos de congelamento e resfriamento, que acarreta na perda de nutrientes, fibras, vitaminas e minerais. Por mais que a indústria alimentícia tenha recursos avançados e aparelhos inovadores, não devem ser consumidas diariamente. Elas podem ser levadas em passeios e viagens porque, além de não ocuparem grandes espaços, vêm em quantidades suficientes para alimentar os bebês.

Saiba mais: Bebês: Autismo pode ser descoberto cedo, até os 2 meses