27 de junho é o Dia Internacional do Diabético e a comemoração nasceu com o objetivo de promover a conscientização da sociedade – médicos, ONGs, Governo e a população em geral – sobre a doença e as formas de tratamento. A primeira celebração ocorreu em 14 de novembro de 1991. A nova data proposta pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) é uma homenagem ao nascimento de Frederick Banting, que em parceria com Charles Best, descobriu a insulina em outubro de 1921.

O Diabetes Mellitus é uma doença metabólica responsável pelo aumento anormal do açúcar no sangue. Como sabemos, a glicose (açúcar) é a principal fonte de energia do organismo, mas quando em excesso, pode trazer várias complicações à saúde. Quando não tratada adequadamente, causa doenças como infarto, derrame cerebral, insuficiência renal, problemas visuais, lesões de difícil cicatrização, entre outras complicações. O diagnóstico é registrado quando o indivíduo não produz insulina ou quando esse hormônio não age com eficiência.

A doença pode ser dividida em tipos:

• Tipo 1: causada pela destruição das células produtoras de insulina, em decorrência de defeito do sistema imunológico em que os anticorpos atacam as células que produzem a insulina. Ocorre em cerca de 5 a 10% dos diabéticos.

• Tipo 2: resulta da resistência à insulina e de deficiência na secreção de insulina. Ocorre em cerca de 90% dos diabéticos.

• Diabetes Gestacional: é a diminuição da tolerância à glicose, diagnosticada pela primeira vez na gestação, podendo ou não persistir após o parto. Sua causa exata ainda não é conhecida.
Pacientes com história familiar devem ser orientados a manter o peso normal, não fumar, controlar a pressão arterial, evitar medicamentos que potencialmente possam agredir o pâncreas e praticar atividade física regular. Já os pacientes com Diabetes devem realizar exame diário dos pés para evitar o aparecimento de lesões, manter uma alimentação saudável, utilizar os medicamentos prescritos, praticar atividades físicas, manter um bom controle da glicemia, seguindo corretamente as orientações médicas.

Infelizmente, ainda não há cura para o diabetes, porém há vários tratamentos disponíveis. Seguir o tratamento de forma regular é fundamental, proporcionando saúde e qualidade de vida para o paciente portador. Segundo projeção internacional, a população portadora diabéticos em nível mundial vai aumentar até 2025 em mais de 50% (380 milhões de pessoas). Atualmente, a Organização Mundial da Saúde estima que cerca de 240 milhões de pessoas sejam diabéticas em todo o mundo: 6% da população.