Reconhecido como um movimento mundial, Novembro Azul reforça a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata – considerado o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens a partir dos 50 anos.

O câncer de próstata no Brasil só fica atrás do câncer de pele não melanoma. Segundo a Fundação do Câncer, foram revelados aproximadamente 68 mil novos casos da doença no país, em 2018.

A doença geralmente pode não apresentar sintomas em sua fase inicial. Normalmente, os sinais revelam crescimento benigno da próstata e dificuldade de urinar. Já na fase mais avançada, surgem dores nos ossos, sintomas urinários, infecção generalizada e insuficiência renal.

Quando o homem perceber alguns sinais como dificuldade de urinar, diminuição do jato de urina, necessidade de urinar mais vezes e sangue na urina, deve procurar um médico imediatamente.

A detecção do câncer de próstata deve ser realizada com exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos para diagnóstico precoce. Já nos casos sem sinais ou sintomas, mas pertencentes a grupos com maior chance de ter a doença, podem realizar com exames de toque retal e de sangue para avaliar a dosagem do PSA (Antígeno Prostático Específico) – solicitado anualmente para acompanhar as alterações específicas da próstata e o resultado, quando alterado, pode indicar situações como inflamações, infecções, hiperplasia (crescimento benigno) e, também, o surgimento do câncer de próstata. A realização do toque retal é recomendada quando há presença de sinais e sintomas, conforme preconiza o Ministério da Saúde.

Portanto, adotar hábitos saudáveis diminui o risco de várias doenças, inclusive o câncer.

Consulte regularmente o seu médico. A prevenção é a alma da saúde!